Newsletter
Receba nossos artigos diretamente no seu email.
Nome
Email
Cadastro manual: Entre em contato
 




 
 
05/04/2007
Legítima defesa - segunda parte
 
 
 

   (Na primeira parte, omiti o nome das pessoas. Chamarei agora de

Lourdes, para a assassina, e de José para seu esposo)
 
A história veio da Lourdes e de algumas pesquisas.
Tereza, desde cedo gostava de rapazes e vivia pelos cantos da roça com eles. Acho que todos os moços das redondezas andaram com ela.
Mas era má. Não obedecia a seus pais, não queria trabalhar, resmungava o tempo todo, batia nos colegas, nos irmãos... Era uma peste, ruim como o demônio.
Ficou grávida, e não sabia de quem e nem se interessava em saber. Mas não queria a criança, pois atrapalhava os seus relacionamentos com os rapazes. Quis matar acriança antes de nascer, mas não conseguiu: não sabia como fazer. Mas praguejava sempre contra ela: - vou te matar. Eu não te quero.
A criança – Tonho - nasceu no mato, e ali mesmo foi enterrada... Ficou feliz porque agora já podia ter rapazes de novo!
O cachorro achou o menino e espalhou pedaços por todo o lado, de modo que a família ficou sabendo... e soube também que era da Tereza.
Castigaram a Tereza: fizeram se casar! Tereza disse o nome do “pai” da criança: - Godoi - e a família deste obrigou-o a casar com Tereza.
Godoi era o melhor rapaz das redondezas e nem passara por sua cabeça ter algum relacionamento com aquela moça ruim... Mas não tinha argumentos: não sabia se defender. Acabou casando e assim iniciou também sua caminhada para o inferno!
Tereza só queria sexo... Mas não queria filhos! Aos poucos Godoi foi ficando parecido com ela: mau, ambicioso, mandão... Mas não conseguia mandar na mulher: ali quem mandava era ela! Ele era como um cachorrinho... um pau mandado!
Ao saber da segunda gravidez, Tereza já alertou: Não quero este filho. Mas não pode escondê-lo e passou a ser vigiada por seus pais e vizinhos. A criança (Getulio) nasceu em meio à palavrões...
Dia a dia, a mulher o maltratava: não lhe dava alimento, surrava-o constantemente, e, quando Getulio quebrou uma xícara, foi surrado tanto que não agüentou e morreu... Tinha 1 ano e meio.
Godoi escondia tudo, porque tinha medo da mulher: ela também dizia muitas vezes que o mataria...
Nasceu a terceira criança. Durou 6 anos: sua mãe, primeiro cortou sua mão, porque tinha quebrado uma xícara: surrou até o menino ficar sem forças e depois decepou-lhe a mão com um facão.
A ferida ficou feia... inflamou e Getulio morreu.
Mas ela já tinha mais três filhos... Godoi começou a vigiá-los sempre. Andava sempre com eles. Levava para o trabalho na roça embora eles fossem pequenos.
Em casa era um inferno: só gritos, só palavrões...
Jorge cometeu uma arte: roubou e vendeu uma galinha para uma vizinha que estava muito doente. Tereza soube e surrou com um cabo de vassoura... Quebrou a espinha e Jorge não pode mais andar... Andava de arrasto... Fizeram uma carriola para ele... Mas ele jurou matar a mãe e se o pai não tomasse providência, matava também o pai.
Prenderam o Jorge numa cabana e ali ele morou até morrer, um ano depois, sem comida, sem tratamento médico.
Entre os 10 filhos que Tereza teve, estava o José...
 
Continua...
 
 
 
Artigo Visto: 2953 - Impresso: 67 - Enviado: 15
 

ATENÇÃO! Todos os artigos deste site são de livre cópia e divulgação desde que sempre sejam citados a fonte www.salvaialmas.com.br

 

Visitas Únicas Hoje: 226 - Total Visitas Únicas: 1668103 - Usuários Online: 34
Copyright 2015 - www.salvaialmas.com.br - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por: www.espacojames.com.br/sites