Newsletter
Receba nossos artigos diretamente no seu email.
Nome
Email
Cadastro manual: Entre em contato
 




 
 
29/08/2007
A realidade do maligno - Judas Iscariotes I
Exorcismo de 14.08.75 contra Judas Iscariotes
 
 
 

    EXORCISMO CONTRA JUDAS ESCARIOTES

 J - Se eu a tivesse então escutado! (aponta para cima). Ela estava perto de mim (geme com uma voz horrível).
E - Quem é que estava perto de ti? Fala, em nome (...).
J - Ela, lá de cima (aponta para cima), mas eu repeli-a.
E - Continua, Judas, diz o que tens a dizer em nome da Santíssima Virgem! Diz a verdade e só a verdade!
J - Eu sou o mais desesperado de todos (geme).
DESCIDA DE JESUS AOS INFERNOS
E - Judas, agora tens de ir-te!
J - Não! (geme).
E - Em nome desta Rainha que tu recusaste, em nome de Nossa Senhora do Monte Carmelo tens que voltar, agora para o inferno!
J - É preciso que recitem todos os Mistérios Dolorosos e o Credo. (Quando rezavamos E desceu aos infernos). Judas exclamou:
J - Ele desceu... lá abaixo, Ele foi!
E - Cristo foi ao Limbo? Diz a verdade, em nome (...).
J - Ele desceu até ao inferno e não apenas até ao Limbo, onde as almas esperavam.
E - Por que é que Ele foi ao inferno? Diz a verdade, em nome (...).
J - Para mostrar que também morreu por nós.* Isso foi terrível para nós. Ele foi ao reino da morte, mas foi também ao inferno... realmente ao inferno. Foi preciso que Miguel e os Anjos nos encandeassem para impedir que nos precipitássemos sobre Ele (aponta para o alto e resmunga). Eu não gosto de falar nisto, nem sequer de o ouvir, fui culpado da traição a Cristo. É necessário que canteis: “ Vejo-te Jesus, silencioso...” e: “Como me arrependo dos meus pecados.” estas duas estrofes e em seguida uma estrofe do cântico Stabat Mater: “ A Mãe de Cristo, de pé, junto a Cruz.” (As pessoas presentes entoam os cânticos).
J - (Durante os cânticos, solta gritos horríveis de desespero): Se me tivesse arrependido! Se me tivesse arrependido!
* Jesus morreu por todos os homens. É Judas, uma alma condenada, que está a falar e não um demônio, como no caso anterior de Akabor.
LUTA CONTRA JUDAS
E - Judas Iscariotes, nós, Sacerdotes, ordenamos-te, em nome da Santíssima Trindade, que voltes para o inferno!
J - Não..., não quero ir (geme). Estou muito bem nesta mulher. Em grande parte, ela é obrigada a participar do meu desespero.
E - Judas, em nome (...) afasta-te dela, vai para o inferno, para a condenação eterna, onde é o teu lugar, em nome (...).
J - Mas eu não quero.
E - Sai Judas Iscariotes, em nome da Mãe de Deus!
J - Ela (aponta para cima), ainda agora teria piedade de mim, se pudesse. Ela amou-me, ela amou-me! Sabeis o que isso significa? (geme angustiado).
E - Grita o teu nome, Judas Iscariotes, e vai-te em nome (...).
J - Eu sei que Ela me amou (murmura penosamente).
E - Tu não quiseste, tu não lhe obedeceste. Ela queria salvar-te para a eternidade, para o Céu. Ela desejou o melhor para ti. Agora vai-te, em nome de Nossa Senhora de Fátima!
J - Não! (Grita cheio de desespero).
E - Judas Iscariotes, grita o teu nome e vai-te. Vai-te agora, para o inferno, em nome do Salvador Crucificado, que tu traíste, em nome dos seus sofrimentos, em nome da sua Agonia no Jardim das Oliveiras.
J - É preciso recitar três vezes: “ Santo, Santo, Santo...”.
(As pessoas presentes recitam-no e cantam: Abençoa ó Maria!) Enquanto isso, Judas grita com uma voz terrível: “Não! Não!”
E - Nós te ordenamos em nome da Santíssima Trindade (...)! (Judas arranca a estola do Padre).
J - Não! (com uma voz terrível).
E - Em nome da Santa Padroeira desta mulher, vai-te agora, Judas Iscariotes!
J - Tendes que pôr todas as relíquias “na mesa”. Ninguém me obriga a ir-me tão facilmente! Eu sou o ... (solta um gemido terrível)
E - Em nome dos cruéis sofrimentos de Nosso Senhor Jesus Cristo (...)!
J - Eu não quero ir-me embora, não quero! Deixai-me; deixai-me (horríveis uivos).
E - É Nossa Senhora da grande Vitória quem te ordena!
J - Se eu a tivesse escutado!
E - Nós te ordenamos em nome da Santíssima Virgem, da Igreja Católica ...
J - Isso não serve de nada (grunhe com uma voz cavernosa).
E - Em nome da Santíssima Trindade (...)!
A REALIDADE DO INFERNO
J - Se eu não tivesse perdido a esperança! O inferno é horrível! Se eu não tivesse perdido a esperança! (gritos de desespero, que metem medo).
E - A Santíssima Virgem ordena-te que te vás embora, em nome do Crucificado, em nome do Preciossíssimo Sangue!
J - Deixai-me ficar mais uns momentos nesta mulher!
E - Não! Sai, em nome de todos os Santos Apóstolos, em nome (...).
J - Não quero. Não. Não... (berra com uma voz cheia de ódio)..., mas eles chegarão em breve (refere-se aos espíritos infernais).
E - Vai-te agora, Judas Iscariotes, em nome de Nossa Senhora do Monte Carmelo. Ela te ordena que vás para o inferno, para a condenação eterna!
J - (os seus gritos prolongados comovem): Não, não!... (geme com voz terrível e emite sons de desespero).
E - Em nome das Sete Dores de Maria, em nome da Santíssima Trindade... vai-te para o inferno!
J - Mas eu não quero, não quero! (berra horrivelmente).
E - Em nome da Santíssima Trindade, da Imaculada Conceição, Mãe de Deus, nós te ordenamos que voltes para junto de lúcifer!
J - (Com voz arrastada e lastimosa): Não! (O seu grito é horrível e desesperado). Não, não! Eles também não me querem no inferno. (De repente, Judas grita com desespero): lúcifer socorro! (os Sacerdotes recitam um novo exorcismo e duas ladainhas).
E - Em nome da Santíssima Trindade, nós te ordenamos, que vás para o inferno por toda a eternidade!
J - Ó espíritos infernais ajudai-me! Ajudai-me para que eu não seja obrigado a ir-me embora! Despacha-te, Akabor! Ajuda-me ... Oh, oh, despachai-vos! (geme queixoso).
E - Judas Iscariotes, vai-te em nome (...).
J - Lúcifer, tu é que me mandaste, tens portanto que me ajudar!
E - Nós te ordenamos, Judas Iscariotes, em nome (...).
J - (grita desesperado): Eles vêm... vão chegar em breve... Sabeis como os temo, sabeis? (refere-se a lúcifer e aos seus ajudantes).
E - Nós, Sacerdotes da Igreja Católica, nós ordenamos-te, em nome da Santíssima Trindade, da Santa Cruz, da Imaculada Virgem Maria, Mãe de Deus (...) vai-te Judas Iscariotes!
(Nesta altura os Sacerdotes recitam três vezes: “Santo, Santo, Santo...” e o Glória ao Pai. Neste momento, Judas, pela boca da possessa, fala com voz de homem).
J - Não! Oh, oh (geme)... Se nós a pudéssemos matar já! Como gostaríamos de o fazer. Já há muito que decidimos que ela devia ser morta (refere-se à possessa).
E - Nós te ordenamos, em nome da Santíssima Trindade, que não a mates. Afasta-te agora, afasta-te em nome (...) e especialmente São Miguel!
J - Não, Miguel, tu não deves... (uiva como um animal e solta gemidos horríveis). Eles aí vêm... Eles vêm!...
E - Em nome da Santíssima Trindade... Grita o teu nome, Judas Iscariotes, e vai-te!
J - Eu... eles aí vêm! Eu... Judas... Iscariotes!... Eu... Judas Iscariotes, tenho que ir, tenho que ir! Tenho que ir... tenho, tenho, tenho!... Eles aí vêm... Eles aí estão! (uiva e grita com uma voz medonha). Estão aqui os espíritos malignos! (chora)... Lúcifer, lúcifer! Vai-te embora lúcifer!... Tenho medo de ti, vai-te embora! (grita com uma voz horrível).
E - Vai-te, agora, Judas Iscariotes, em nome...
J - Ele vem... ele vem...!
E - Em nome da Santíssima Virgem, vai para o inferno, para sempre, e nunca mais voltes!
J - Eles aí vêm... Eles aí estão... (grita e geme horrivelmente). Tenho que ir! Eles recebem-me!
E - Em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo, grita o teu nome e parte!
J - Já o gritei. Eu, Judas Iscariotes, tenho... de ir-me embora. “Judas Iscariotes!” (ouvem-se quinze gritos prolongados, horríveis, capazes de fender a alma)... Não, não, não... Não quero ir embora!
E - Nós te ordenamos, em nome da Igreja Católica, em nome da Santíssima Trindade (...).
O INFERNO É MAIS HORRÍVEL DO QUE SE PENSA
J - Oh, este desespero! Este desespero horrível! É horrível! Não podeis imaginar como o inferno é cruel. Não fazeis a mínima idéia de como é medonho lá embaixo! Não sabeis como é!
E - A culpa foi tua. Vai-te, Judas Iscariotes, em nome (...).
J - (grita e suspira): Tenho um lugar horrível! Um canto horrível, lá embaixo. Oh ... oh! Dizei a todos que tenho um canto horrível!... Vivei honestamente! Vivei honestamente!... É pavoroso!... Por amor ao Céu fazei tudo para alcançar o Céu, mesmo que para isso seja preciso ser torturado por instrumentos de suplício durante mil anos (grita).
Escutai, devo dizer ainda isto: se tivésseis que passar mil anos de suplício, agüentai, agüentai! O inferno é terrível, é terrível! Ninguém sabe como o inferno é horrível. É muito mais atroz do que pensais... é medonho!... é pavoroso! (Judas pronuncia todas estas palavras com uma voz que faz tremer, entre cortada, de um desespero indiscutível).
E - Em nome de Jesus disseste tudo agora?
J - Tenho ainda que acrescentar uma coisa, mas prefiriria não o fazer: há tantas pessoas... que já não crêem no inferno... mas... mas... (ameaçador)... ele existe! O inferno existe. É horrível!
E - Sim, o inferno existe.* Diz só a verdade, em nome (...).
J - Oh... ele existe... o inferno! É medonho! Tenho que me ir em breve, mas tenho que dizer ainda isto (grita e gane como um animal).
E - Mas, agora, é preciso que te vás embora. Em nome (...) sai desta mulher!
J - O inferno é muito mais medonho do que se pensa... O inferno é muito mais horrível do que se pensa...! O inferno é muito mais horrível do que se pensa...! (os seus gritos são de ensurdecer).
E - Fala, em nome (...)!
J - (Grita e geme): Oh!... se eu pudesse ainda voltar atrás... se eu pudesse ainda voltar atrás!... Oh... Oh! (chora dum modo inexprimível).
E - Sai desta mulher, sai, em nome (...)!
J - Oh! Eu não quero ir lá para baixo. Tende piedade... Deixai-me continuar nesta mulher!
E - Não! Não! Em nome (...) vai-te embora!
J - (geme): estava bem melhor nela. É que assim ela teria que carregar com grande parte do meu desespero. Deixai-me ainda ficar nesta mulher... É horrível para mim. para mim é horrível estar no inferno (geme com voz ofegante). Oh! Deixai-me ficar ainda nesta mulher!
E - Não! Em nome (...).
J - Ela ainda pode agüentar-me (com um imenso desespero). Ela pode muito bem agüentar-me.
E - Sai dela, em nome (...).
J - Que pensais!... Lá em baixo é muito mais horrível!... Oh! Oh!! (geme). Dizei isto... dizei isto a todos os jovens, a todos os heréticos, absolutamente a todos: o inferno existe. (a voz é penetrante, capaz de causar calafrios). Oh! (grita), é “lixadamente” horrível! Se tivesse escutado a Santíssima Virgem e não tivesse passado a corda à volta do pescoço! Se tivesse mantido a esperança. Se não a tivesse perdido (fala com uma voz desesperada...) Mas todos dizem isso, todos os condenados dizem o mesmo quando chegam lá abaixo. Mas, então, já é demasiado tarde. Só acreditam quando já é demasiado tarde.
E - Vai-te, em nome da Santíssima Trindade, em nome de todos os Santos Anjos e Arcanjos e do Arcanjo S. Miguel!
J - E Miguel é terrível para nós. Miguel é terrível! (grita com uma voz odiosa).
E - Vai-te, em nome do Santo Cura d`ars
 
 
Artigo Visto: 3065 - Impresso: 164 - Enviado: 23
 

ATENÇÃO! Todos os artigos deste site são de livre cópia e divulgação desde que sempre sejam citados a fonte www.salvaialmas.com.br

 

Visitas Únicas Hoje: 762 - Total Visitas Únicas: 1820524 - Usuários Online: 80
Copyright 2015 - www.salvaialmas.com.br - Todos os Direitos Reservados
Desenvolvido por: www.espacojames.com.br/sites